Cartão Internacional

Cartão de crédito e débito internacional

Esse dinheirinho de plástico é muito útil! Ele abre portas. A primeira coisa que fizemos foi aumentar nosso limite para ter uma boa rede de serviços que inclui seguro viagem e programa de milhagem. Exemplo: Todas as reservas de hotéis e compras de bilhetes aéreos e terrestres fizemos através dele. Resultado: milhas resgatadas para programa de milhagem de companhia aérea e mais possibilidade de viajar  :)

Já temos o nosso cartão HSBC PREMIER INTERNACIONAL (este post não é patrocinado ok? ).

Dica: Consulte todas as possibilidades com o gerente do seu banco sobre o cartão de crédito e débito internacional para saque no exterior.

A partir de dezembro de 2013, o governo aumentou o IOF nos pagamentos em moeda estrangeira feitas com cartão de débito, saques em moeda estrangeira no exterior, compras nos cheques de viagem e carregamento de cartões pré-pagos com moeda estrangeira, o governo unificou as taxas para transações realizadas no exterior. De 0,38% foi para 6,38%. Eu fiquei muito brava, estava de férias em Jeri e aquilo caiu mal. Ficou igual ao cartão de crédito, o governo acabou com os cartões pré-pagos de viagem que estavam fazendo muito sucesso. Obviamente, não temos saída, por isso, não recomendo fazer o cartão pré-pago, é o mesmo que ter um cartão de crédito. O pré-pago é bom para aqueles que não são tão controlados e para não arriscar quanto ao câmbio. Você carrega um valor e se limita a gastar esse valor e usar o crédito somente para emergências. Mas não ganha milhas.. Fizemos um resumo das vantagens e desvantagens, como tudo na vida tem os prós e contras. Veja o quadro abaixo:

Opções para as compras no exterior

tabela

Fonte: UOL ECONOMIA

Com isso, a melhor opção é o dinheiro vivo, cash, espécie, mas vamos combinar que não é muito seguro, né, não queremos levar muito dinheiro em espécie, pois acaba sendo uma preocupação a mais, ter muito dinheiro na money belt ou na mala deixada trancada no hotel. Mesmo depois de viajar tanto, não sei te falar o que acho mais seguro. Pois já vi casos de roubos em hotéis. Uma coisa é certa: acho que é sempre bom dividir o dinheiro, pois se acontecer algo, ser roubado, por exemplo, nunca será um prejuízo completo e não estragará a viagem. A Europa é segura, mas tem muitos batedores de carteira, pessoas que ficam te olhando sem que você perceba por horas, até dar o bote. Por isso, sempre temos que evitar mostrar o dinheiro, andar com a bolsa e mochila sempre pra frente nas aglomerações e metrô. Homens: carteira no bolso da frente. Sempre recomendo trocar pequenas quantias no aeroporto ou hotel para despesas de transporte e só depois procurar casas de câmbio com tarifas melhores. O cuidado deve ser seguido no Oriente Médio e Ásia, aliás no mundo todo.

Sendo assim, nós decidimos levar:

• 3 cartões de crédito;

• 1 cartão de débito para fazer saque na moeda local. Pagaremos o valor do cambio na data do saque + o IOF de 6,38%. Não pagaremos por saque no exterior, geralmente os bancos cobram uma taxa de USD 5. Mas como somos clientes premier não pagaremos essa taxa. Já pagamos na taxa de manutenção mensal, afinal, nada é de graça nesse mundo.

• Dinheiro em espécie: vamos levar EUR 2000,00 cada um e USD 1000,00 cada um. Será bom termos um dinheiro para trocar assim quando chegarmos no Oriente Médio e Ásia até acharmos um caixa eletrônico da rede do banco para saque.

Hello Gringos